Diário da Rússia

Aleksander Medvedovsky

Em junho, o melhor de Moscou e São Petersburgo

O próximo mês está cheio de atrações nas duas maiores cidades da Rússia.

Meus caros amigos, como vamos? Kak dela?

Estamos no início da temporada turística do verão 2011. O câmbio convidativo permite aos brasileiros realizar programas turísticos que antes pareciam impossíveis. E porque, nessa altura, não escolher a Rússia?

O destino interessante, a misteriosa (para muitos) alma russa, a capital muito badalada e a inegável beleza da mulher russa são atrativos bem justificáveis para se visitar a Rússia no verão.

O mês de junho é talvez uma das mais interessantes épocas do ano para aqueles que querem conhecer bem Moscou, seus monumentos históricos, museus, teatros, bons restaurantes, sem enfrentar o frio e a chuva.

Neste ano, a temperatura de junho promete ser mais alta do que o normal para esta época do ano. Na primeira semana do mês a temperatura chega a 25°, sem chuva, e depois cai até 13°, mas logo após a segunda semana sobe para 27°, baixando no final do mês até 20°.

É o início do maravilhoso verão em Moscou, ainda fresco, ainda com poucos turistas na cidade, mas com vida intensa durante 24 horas por dia.

A temporada artística está a todo vapor. Basta lembrar que no decorrer do mês você poderá assistir aos shows de Julio Iglesias, Sting, Chris de Burgh e Ringo Starr, e também dos famosos roqueiros russos Chiaf e Aquarius e do grupo punk SUM 14, entre vários outros.

No palco do Bolshoi estarão à sua disposição “Lago dos Cisnes”, mais tarde um pouco “Dom Quixote” e “Dama de Espadas”.

O Conservatório de Moscou e outras salas de concertos estão oferecendo apresentações de música clássica. E não podemos esquecer a abertura, no dia 14 de junho, de um dos maiores eventos internacionais de piano, o Concurso Tchaikowsky, certame realizado a cada quatro anos em Moscou, e agora também em São Petersburgo.

Muitos pianistas famosos – como o americano Van Cliburn e o russo Mikhail Pletniev – começaram suas brilhantes carreiras ao vencer esse concurso.

Este ano, o presidente do júri é o brilhante Maestro Valery Guerguiev, cuja regência por várias vezes já foi apresentada no programa Voz da Rússia aos ouvintes brasileiros. E pela primeira vez fará parte do júri um dos mais brilhantes pianistas brasileiros da atualidade, Nelson Freire.

A propósito de São Petersburgo, que vai estrear como palco do Concurso Tchaikowsky para violino e canto, é absolutamente impossível não falar do fantástico tempo desse mês na Cidade de Pedro – a época das noites brancas. Esta é a época do ano em que a cidade não escurece, a época do lindo festival de artes de mesmo nome, a época da beleza e do amor. Ver as noites brancas e compartilhar daquele ambiente festivo já vale a viagem para a Rússia.

Só para lembrar: a famosa residência de verão da Família Imperial Russa, com os fantásticos palácios e milhares de chafarizes, funciona plenamente para as visitas.

Também não será demais relembrar que o famoso Hermitage está se preparando para as comemorações de seus 250 anos de existência.

Porém, voltemos a Moscou. Faremos isso num luxuoso trem que cobre o percurso de seiscentos e poucos quilômetros em apenas quatro horas.

Uma das grandes atrações da Moscou de junho é o “Baile de Viena”, que se tornou um marco nas atrações do mês. Já está no sexto ano a realização dessa lindíssima e inesquecível festa, que vale a pena, senão participar, pelo menos assistir de longe.

Devemos lembrar que todos os teatros funcionam no mês de junho, ainda que a maioria deles encerre a temporada de inverno no final de maio.

A Praça Vermelha, a Galeria Tretiakov, o Museu Pushkin e muitos e muitos outros funcionam diariamente, embora alguns fechem às segundas-feiras.

E, para comer bem, quero sugerir alguns restaurantes: Vanil (comida mediterrânea e pâtisserie), Uzbekistan (típico usbeque), Peperoni (italiano), Torro Grill (steakhouse), Vogue Café (point do momento) e Turandot (cozinha oriental, serviço francês e música ao vivo). Cada um com suas próprias características, mas todos um tanto salgados no preço. Para comer bem e barato, e provando a cozinha tipicamente russa, sugiro os restaurantes a quilo: YelkiPalki, Mumu e Drova. Bom apetite!

O comércio funciona até 22 horas, e várias lojas vão até a meia-noite. Todos os cartões de crédito são facilmente aceitos, mas pagando em rublos quase sempre se pode conseguir alguma coisa a mais.

A previsão do câmbio para o mês de junho é:

1 real = 17 rublos.

Vale muito a pena ir a Moscou em junho. E lembro que não se precisa mais de visto de entrada para turismo.

Vejo vocês em Moscou.